Sexta-feira

ZOOM

Está à porta mais um fim de semana, este em particular, de grande folia e tradições populares com as festas São Joaninas, no entanto, este ano, os únicos balões que queremos ver no ar… são os de hélio…

Um óptimo fim de semana… muita diversão… muitas sardinhas e marteladas, muito alho porro e muitos balões… sejam felizes, divirtam-se.

388ea4f100592835123b40565eb29da5

“Jovem brasileira que pedalava até ao Alasca morreu atropelada”

Informativo

Mais uma notícia triste!

estudante

imagem  |  jornaltribunadaregiao.com.br

“Alexia tinha 24 anos. Vivia na Bahia, no Brasil. Não era feliz e só a pedalar se sentia livre. Integrou uma expedição de ciclistas que tinha o Alasca como destino. Morreu dias depois de ser atropelada durante a viagem.

“Por mais que tudo estivesse bem, e tudo na minha vida estivesse dando certo aos olhos de outras pessoas, dentro de mim, eu sentia tristeza, me sentia infeliz. Certo dia, eu resolvi que não era isso que eu queria para minha vida e comecei a buscar o que me poderia fazer feliz de verdade”, contou Alexia Suelen Van Pettens, numa entrevista a uma televisão local, minutos antes do atropelamento fatal.

“Não sei se chego ao Alasca, mas estou a seguir o meu coração. Enquanto ele me disser para continuar na estrada, continuo”, acrescentou.

A jovem de 24 anos, estudante de Psicologia na Universidade Federal da Bahia, integrou uma expedição de bicicleta de cariz espiritual com um grupo de amigos que partiu de Salvador e pretendia chegar ao Alasca, nos Estados Unidos. Mas a viagem para Alexia acabou ainda no Brasil.

O grupo contou que, quando passavam na ciclovia da ponte Newton Navarro, em Natal, Rio Grande do Norte, um motociclista que tentava fugir de um radar invadiu a zona dos ciclistas e atropelou Alexia, que bateu com a cabeça e sofreu um traumatismo craniano.

A jovem foi internada (dia 14) mas, três dias depois, acabou por falecer. Foi velada quarta-feira e será cremada esta quinta-feira.

“Infelizmente, a gente não cria os filhos para a gente, cria para o mundo. Eu não podia deixar ela debaixo das minhas asas, eu tinha que deixá-la livre. E foi o que eu fiz. É traumático, mas foi preciso. Ela precisava fazer essa busca e ela fez. Ela morreu feliz”, disse Solange Alves, mãe de Alexia, citada pelo site da Globo.

Luciano Van Pettens, o pai, contou ao “Correio da Bahia” que a filha tinha começado a pedalar há pouco tempo.

A polícia ainda não conseguiu identificar o autor do atropelamento.”

fonte  |  Jornal de Notícias

Specialized Diverge 2018

É o qu`eu digo...
A Specialized apresentou a sua nova “gravel bike” Diverge, modelo que inclui algumas novidades. Uma delas é a introdução da tecnologia “future shock” já experimentada no modelo Roubaix 2017 lançado aquando da mítica prova.
diverge_02
Este sistema diminui a vibração em terrenos mais acidentados aumentando o conforto para o utilizador.
future1
Outra novidade é um pequeno “depósito” técnico, junto ao pedaleiro, que permite acondicionar alguma ferramenta.
Uma bela máquina! Até apetece dizer: Uma bicicleta que podia ser minha…

Cairngorms Loop

É o qu`eu digo...

O que é o Cairngorms Loop?

Uma trilha, uma experiência em duas rodas, uma viagem, uma aventura ao longo de 300 Km pelas “Highlands” da Escócia, mais concretamente através do Parque Cairngorms.

Esta rota, para bicicletas de todo o terreno, percorre as belas paisagens escocesas e tem inicio e terminus na cidade de Blair Atholl, no extremo sul do parque e deve ser feita em modo de auto sustentação, por um percurso que não é marcado e onde apenas é facultada o track em GPX. Ao longo do percurso os aventureiros encontram alguns abrigos de montanha que possibilitam pernoitar ou descansar.

Esta aventura não é patrocinada por nenhuma entidade oficial e não há qualquer tipo de apoio, existe somente um site onde constam as regras do desafio e a lista de ciclistas que já completaram a “prova”. Para poder inscrever o nome nessa lista os ciclistas devem concluir o circuito em menos de 56 horas.

As imagens são fantásticas…  apetece sair à aventura!

Esta aventura contada na primeira pessoa encontra-se disponivel aquiNeste blogue fantástico inbetweenspokes.wordpress.com

cairngorms-loop_urbancycling_1cairngorms-loop_urbancycling_3cairngorms-loop_urbancycling_5cairngorms-loop_urbancycling_7cairngorms-loop_urbancycling_8cairngorms-loop_urbancycling_6cairngorms-loop_urbancycling_9dus4064dus4164dus4066

fonte  |  inbetweenspokes.wordpress.com

RITMO PARA A JÓIA DAQUELA ROÇA

Poesia à Segunda

Dona Jóia dona

dona de lindo nome

tem um piano alemão

desafinando de calor.

 

Dona Jóia dona

do nome de Sum Roberto

está chorando nos seus olhos

de outras terras saudades.

 

Dona Jóia dona

dona de tudo que é lindo:

do oiro cacaueiro

do café de frutos vermelhos

das brisas da nossa ilha.

 

Dona Jóia dona

dona de tudo que é triste:

meninos de barriga oca

chupando em peitos chatos;

negros de pezão grande

trabalhando pelos matos.

 

Ai! Dona Jóia,

dona de mim também –

Jesus, Maria, José

Credo! –

não me olhe assim-sim

que me pára o coração!

“BikeSphere aumenta a segurança dos ciclistas”

Informativo

“É uma das grandes questões, a segurança nas estradas. Hoje é um facto que cada vez há mais ciclistas a circular nas estradas portuguesas, o que não significa que o trânsito seja mais reduzido, antes pelo contrário.

 

Ambas as realidades partilham muitas vezes locais de circulação que não estão preparados para os receber… comumente. É aí que surge o BikeSphere, que pode dar uma boa ajuda neste particular.

O que é?
O BikeSphere é o nome dado a um projeto que visa aumentar a segurança entre ciclistas e automobilistas nas estradas. Consiste num detetor de proximidade colocado na traseira das bicicletas e num sensor de luz colocado no guiador.

Trabalhando em sintonia, é detetada a aproximação dos automobilistas e emitido um sinal luminoso vermelho em forma de círculo de luz giratório, que cria um perímetro de segurança em torno dos ciclistas.
Quando os automobilistas se aproximam, a velocidade a que a luz luminosa roda em torna do ciclista intensifica-se, de forma a avisar os automobilistas da distância de proximidade que não devem ultrapassar, aumentando-se assim a segurança.

Origem da ideia?
O conceito é o primeiro saído do #TrendyDrivers da Michelin, que visa apoiar novas ideias que contribuam para o aumento da segurança nas estradas.

Como participar?
Os interessados podem endereçar propostas para o #TrendyDrivers e os premiados recebem um valor de 6.000€ para concretizarem as suas ideias.”

fonte  |  www.motor24.pt