Uma bicicleta que podia ser minha

ZOOM

49898948_2050651481671116_878008482010234880_n

foto  |  INTEMPORAL BIKES PORTO

Anúncios

À Luz da Lua!

Poesia à Segunda

Iamos sós pela floresta amiga, 
Onde em perfumes o luar se evola, 
Olhando os céus, modesta rapariga! 
Como as crianças ao sair da escola. 

Em teus olhos dormentes de fadiga, 
Meio cerrados como o olhar da rola, 
Eu ia lendo essa ballada antiga 
D’uns noivos mortos ao cingir da estola… 

A Lua-a-Branca, que é tua avozinha, 
Cobria com os seus os teus cabellos 
E dava-te um aspeto de velhinha! 

Que linda eras, o luar que o diga! 
E eu compondo estes versos, tu a lel-os, 
E ambos scismando na floresta amiga… 

António Nobre, in ‘Só’ 

App`s para ciclismo

Informativo

Num mundo cada vez mais tecnológico o smartphone é um companheiro inseparável na pratica desportiva e de lazer. Atentas a esta realidade, as marcas, promovem as mais variadas aplicações para que tudo fique registado e mapeado e até existem aquelas que dão conselhos de mecânica.

Aqui ficam as melhores… haja espaço no telefone para tal!

le-migliori-app-per-i-ciclisti_1

1. Strava: Run, Ride, Swim by Strava IncDownload: iOS / Android – 2. Cyclemeter Cycling Running GPS by Abivio Inc. Download: iOS Android – 3. Bikemap Map for Cycling by Bikemap GmbH Download: iOS / Android – 4. Komoot Cycling & Hiking Maps by komoot GmbH Download: iOS / Android – 5. Runtastic Road Bike GPS by runtastic GmbHDownload: iOS / Android – 6. Runtastic Mountain Bike GPS by runtastic GmbH Download: iOS / Android – 7. Relive: Your Outdoor 3D Videos by Relive B.V. Download: iOS / Android – 8. Ride with GPS Bike Computer by Ride with GPS LLC Download: iOS / Android.

le-migliori-app-per-i-ciclisti_2

9. Naviki Bike Navigation by beemo GmbH Download: iOS / Android – 10. B.iCycle GPS cyling computer by Valley Development GmbH Download: iOS – 11. Map My Ride by Under Armour by Under Armour Inc. Download: iOS / Android – 12. GPS Cycle Computer lite by AppAnnex LLC Download: iOS – 13. TrainerRoad  by Trainer Road LLCDownload: iOS Android – 14. FITIV Ride GPS Route Tracker by MotiFIT Fitness IncDownload: iOS  – 15. TrainingPeaks by Peaksware LLC Download: iOS / Android – 16.CycleMap by Ratomic Lab Inc Download: iOS .

le-migliori-app-per-i-ciclisti-3_by_urbancycling-it

17. Bike Computer GPS Tracker by Bike Computer Co. Download: iOS / Android – 18. Wahoo Fitness by  Wahoo Fitness LLC Download: iOS / Android – 19. BioLogic BikeBrain GPS bike and cycle computer by Mobility Inc. Download: iOS – 20. Map My Tracks by Tinderhouse Limited Download: iOS / Android – 21. Garmin Connect by Garmin Ltd.Download: iOS / Android – 22. Migo Find & Book Your Ride by Migo Inc. Download: iOS – 23. ViewRanger by Augmentra Ltd. Download: iOS / Android – 24. CycleComputer by Modevsoft Download: iOS .

le-migliori-app-per-i-ciclisti-4_by_urbancycling-it

25. Bike Citizens by Bike Citizens Mobile Solutions GmbH Download: iOS / Android – 26. MAPS.ME Offline Map & Nav by My.com B.V. Download: iOS / Android – 27. Maps 3D Outdoor GPS by movingworld GmbH Download: iOS – 28. Gaia GPS by Trailbehind, INC. Download: iOS / Android – 29. Bike Doctor Easy bike repair and maintenance by Andreas Kambanis Download: iOS / Android – 30. Bike Repair by Atomic Softwares Download: iOS / Android – 31. SizeMyBike by F.R. Chalaoux Download: iOS – 32. Bike Gear Calculator by MatixSoft Inc. Download: iOS .

fonte  |  urbancycling.it

PR1 CBT À Volta do Castelo e “Villa de Basto”

Caminhadas

Antes do virar de página de mais um ano ainda houve tempo para mais uma actividade ao ar livre, uma caminhada por terras de Basto, um percurso que já estava “agendado” há vários anos, mas, por motivos vários ainda não tinha sido possível concretizar.

PR1- À volta do Castelo de Arnoia e antiga Villa de Basto é um percurso de pequena rota que se desenvolve em dois círculos distintos. A partida e chegada acontece na aldeia do Castelo, antiga Villa de Basto que foi sede do concelho de Celorico de Basto até ao ano de 1719.

49948719_10215481060052516_6167187593805955072_n

O Castelo de Arnoia, em volta do qual todo o percurso se desenrola, é referido em documentos datados do ano de 1064, aludindo ao Castellum Celorici et oppido ibi.

Este Castelo enquadra-se na arquitectura militar da época românica, existindo nele elementos que concorrem para ser inserido nesta arte: a torre de menagem; a existência de uma única porta (a multiplicação de aberturas tornavam a defesa do Castelo mais vulnerável); a cisterna subterrânea no pátio amuralhado (com objetivo de conservar as águas pluviais perante uma possível guerra de cerco) e, por fim, o largo adarve, que define uma planta triangular.

Aproveitamos o largo da Capela de Santa Luzia para aparcar e dar inicio ao nosso percurso…

A primeira parte do percurso ou o “primeiro círculo” faz-se no núcleo habitacional próximo ao castelo e por caminhos florestais levando-nos da aldeia do Castelo até ao monte do Calvelo onde se encontra edificada a Capela do Senhor do Calvário, tem uma extensão aproximada de 4.250 m com um grau de dificuldade baixo, 

Mas, antes de lá chegar ainda há muito para ver e descobrir… desde logo as “Alminhas do Castelo“, património representativo da religiosidade que, por norma, se encontram instaladas à beira dos caminhos ou em encruzilhadas.

50455484_10215481064372624_2826340878816116736_n

Aproveitamos o fator frescura física para subir até ao castelo, ao alto da sua torre de menagem e ter o privilégio, graças ao céu limpo, avistar toda a beleza natural da região.

O Castelo encontra-se sempre aberto, pelo que a visita está assegurada…

49834002_10215481065772659_1509418805380513792_n49547405_10215481063652606_5970764286794924032_n49793800_10215481060892537_7515179679704154112_n

50091266_10215481058692482_1907476516107714560_n

Terminada a visita prosseguimos em sentido descendente até à aldeia onde se destacam alguns edifícios históricos. Apesar da sua importância encontram-se em avançado estado de degradação!!! Como é o caso do edifício que albergou a Cadeia e Casa das Audiências, utilizado desde o séc XVI, símbolo do poder judicial…

49582252_10215481057852461_965753006010138624_n

…e da Casa de Boticas, séc. XVIII, a farmácia dos tempos modernos.

50474507_10215481060972539_1772706021521752064_n

Uns metros adiante, nas imediações do Centro Interpretativo encontramos mais elementos de grande significado, o pelourinho e o tanque comunitário e fonte, este último um elemento essencial à vida da comunidade e ponto de encontro.

Deixamos para trás o núcleo habitacional e seguimos por um caminho de terra batida até ao alto do monte de Calvelo, deste local temos uma vista privilegiada sobre o Castelo e serras circundantes.

Esta primeira parte do percurso, na minha opinião, não prima pela beleza, nem tem um grande interesse histórico-cultural, à excepção do núcleo em volta do Castelo, pelo que, quem pretender fazer este PR com crianças ou para quem não pretender fazer muitos quilómetros poderá subtrair esta parte do percurso.

A segunda parte é de grau de dificuldade mais elevada, um pouco mais extensa, mais ou menos  6.750 m e mais apaixonante em termos de paisagem.  Podemos considerar que este segundo troço inicia-se a partir da passagem pelo restaurante “A Forca”, localizado ao lado do centro interpretativo.

Seguimos em sentido descendente até ao fundo do vale, por entre campos agrícolas, onde a cultura da vinha domina.

50543037_10215481055612405_4081085737204711424_n

49899774_10215481056292422_702051011992223744_n

Passagem pela Casa de Sequeiros, um solar oitocentista com capela.

49848507_10215481056412425_4936648123125596160_n

Ultrapassado um pequeno ribeiro inicia-se uma subida acentuada até ao Miradouro de Penícia, um bom ponto de paragem para retemperar forças e para fazer mais um registo fotográfico do Castelo.

Daqui temos uma maior percepção da localização, quase inacessível do Castelo, dada a forte pendente da formação rochosa onde está edificado. 

49900341_10215481057372449_7589735351275487232_n

Ultrapassada a maior dificuldade do percurso, o regresso até à aldeia do castelo faz-se sem dificuldades dignas de registo…

Os Moinhos de Combro certamente tiveram grande importância para a economia dos habitantes locais, mas hoje, são mais um amontoado de pedras com telhado, onde a vegetação se encarrega de ir tapando a desgraça em que se encontram…

Passagem pela calçada tradicional, muito antiga, a chegar ao lugar de Chelo.

50472046_10215481062932588_475555074119041024_n50241541_10215481066212670_4124378354713362432_n49947458_10215481066572679_2180815660823609344_n50244694_10215481058852486_6463650108004106240_n

O restante percurso até à aldeia e às imediações do Castelo fez-se de forma rápida por entre belos quadros rurais…

50428887_10215481065132643_8756099386259275776_n49946617_10215481066052666_8372032591628337152_n

Um pouco mais de história sobre o Castelo de Arnóia:

“A sua construção deve ser entendida no movimento de encastelamento que entre os séculos X-XII marcou o território europeu com a intenção de defender as populações locais contra investidas inimigas.

50009504_10215481062372574_3306599908491919360_n

Todavia, não poderemos entender a construção deste Castelo em termos de defesa territorial, mas, sobretudo, como marco de um espaço geográfico em reorganização: encabeçando a Terra de Basto, gerou-se junto a ele uma povoação denominada por Vila de Basto.

No entanto, o seu isolamento e a limitação de espaço que impedia a expansão da vila poderão estar na origem da transferência da sede concelhia para a freguesia de Britelo, no ano de 1717, e que veio a ser mais tarde designada de Celorico de Basto.

O abandono do Castelo deu-se precisamente a partir do ano de transferência da sede do concelho, quando as elites deixaram a pequena Vila de Basto e fixaram residência em Britelo.

Sinónimos do abandono, no dealbar do século XX, os sinais de degradação eram evidentes nas aduelas da cobertura que se encontravam no seu interior, na silharia com rombos e múltiplas deslocações ou na torre de menagem reduzida às suas paredes.

Esta situação permaneceu até à década de 1930, quando se iniciaram as diligências com vista à classificação deste monumento. Este processo só ficou concluído em 1946 com a sua classificação como Monumento Nacional.”

fonte  | rotadoromanico.com

Agora é a vossa vez… encontramo-nos brevemente numa outra aventura, até lá, boas caminhadas.