Coisas de infância

É o qu`eu digo...

Ontem ao ler um artigo publicado pelo Paulo Almeida no blogue, na bicicleta, sobre o facto de, actualmente, muitos jovens, de 11/12 anos, nunca terem andado numa bicicleta, levou-me a recuar umas dezenas de anos até à minha infância… até ao quintal da avó Isaura… 

Este quintal, nas traseiras da casa, era um local mágico, estendia-se até aos quintais vizinhos, era enorme à escala do meu ser… tinha uma horta, um poço, paredes para trepar e por vezes esfolar os joelhos, tinha galinhas, coelhos e pássaros, tinha a gata persa, tinha o Jackie, um pequeno cão rafeiro branco e castanho, tinha um palheiro (celeiro) feito de lousa e soletos como manda a tradição aqui por estas terras.

Até ter idade para brincar na rua, este era o meu mundo fantástico… sem consolas, telemóveis ou outro qualquer aparelho eletrónico, construí aqui milhares de aventuras. Aqui aprendi a andar de bicicleta pelas “estradas”de lousa, subia aos muros de xisto para falar com os meus amigos que tal como eu ficávamos em prisão domiciliária, procurava minhocas e outros bichos para oferecer aos galináceos, arrancava as leitugas para os coelhos, ajudava a avó a tirar água do poço, para regar as plantas – e o fascínio de ouvir o balde precipitar-se sobre a água lá no fundo!!  No palheiro, haviam ferramentas variadas, da foice à sachola, da turquesa ao formão… hummm que maravilha para uma criança tantos instrumentos pontiagudos !!! O prazer da descoberta às vezes lá levava a uns acidentes, uns dedos esfolados… mas nada de grave perante o prazer de fazer coisas.

Talvez as crianças de hoje não tenham esta sorte de ter um lugar mágico para descobrir coisas, para brincarem de facto, talvez não lhes reste mais que os 30m2 da sala com todos os aparelhos eletrónicos, talvez não tenham um espaço à porta de casa para andar em segurança de bicicleta, ou talvez, falte vontade aos pais para os levar à descoberta.

Tive a sorte de ter este espaço e de ter um super-herói que mesmo sem capa, nos levava a voar pelos campos e montes circundante sempre à descoberta de algo… e quando cresci… ia com os amigos, mas isso, são histórias para outra publicação.

img_20170206_223506-02

Anúncios

5 thoughts on “Coisas de infância

  1. Que belíssimo texto Nelson, parabéns.

    A percepção do mundo que uma criança tem nos primeiros anos de vida é a sua casa. Antes de entender e experimentar o mundo exterior, muito do que cada um de nós absorveu sobre o desconhecido teve origem nas nossas casas, e assim permaneceu até que nos foi liberado um certo grau de independência, isto no ponto de vista e influência dos nossos pais. Quando nos nossos primeiros passos adquirimos o equilíbrio e aprendemos a andar, existiam paredes que nos protegiam de tudo. Da mesma forma, e num contexto semelhante, assim acontece quando aprendemos a dar as primeiras pedaladas. Fora de portas, a independência traz consigo novas experiências e novas questões, levando os pais a equacionar os riscos e a moldar os comportamentos perante os desafios. É evidente que muitos factores entram na sua decisão, se aceitar o que aprendemos é suficiente para nos expormos à “guerra” das ruas. Com o pai ou a mãe ao lado incentivando as primeiras pedaladas são experiências que ficarão impressas no cérebro da criança como um momento agradável que passou com eles. Ganha confiança e sentido de responsabilidade. Vão saber dar valor a todas essas coisas, não só para si, mas para tornar o mundo em que vivem num lugar melhor. Como ensiná-las é mais que uma abordagem inteligente, é um argumento irrefutável para incorporar o ciclismo nas suas vidas diárias.

  2. Bonito texto!
    Pessoalmente, nunca tive bicicleta na infância…mas tinha o sonho de saber andar! Comprei uma bicicleta há 3 anos… aos 55 anos de idade… e comecei do zero. Levou algum tempo, porque nesta idade o factor medo tem alguma força, o que não acontece certamente quando se aprende na infância.
    Mas cumpri o meu sonho e hoje sei andar… apesar de só apreciar faixas com uma certa largura…e terrenos seguros!!!
    Já os meus filhos aprenderam bem cedo e são ambos fãs!!

  3. O importante é nunca desistir dos sonhos e de alcançar novos objectivos… nunca é tarde para começar. 🙂
    Parabéns e muitas pedaladas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s