Caminho Inglês – Ferrol / Neda – 16Km

Caminho de Santiago

Enquanto preparava, no papel, este novo caminho reservei este dia, apenas, para as viagens do Porto até Ferrol e dormida na cidade, no entanto, quando colocamos em prática o esboçado… o que era, deixou logo de o ser!!!

Chegados a Ferrol decidimos começar de imediato o nosso caminho.

Eram 18.00h e separava-nos do Albergue de Neda 16km e uma janela de luz que duraria até às 21.30h. Com competência seria possível fazer parte dos 31 km da primeira etapa e chegar ao albergue antes de encerrar!!!

Depois de concluído o caminho acho que a opção tomada foi a melhor (explico mais à frente).

18221979_10210850209484146_8924080706597622611_n

O caminho inglês inicia junto ao porto de Cruxeiras, um monolito de pedra, com o símbolo da Galiza, colocado junto à farmácia Saavedra, marca oficialmente esse ponto zero. Daí, seguimos pelo arco “triunfal”. O dia estava luminoso com o sol a aquecer a alma já de si em êxtase pelo regresso a estes caminhos mágicos. 

18156260_10210824797568864_6729231121629561027_o18209142_10210824805689067_280492933245028034_o18238058_10210824808169129_5239145259210306527_o18193154_10210824784008525_5912844383147945714_o

O percurso original encontra-se vedado logo adiante da partida, talvez por motivos de segurança, uma vez que tem passagem numa zona habitacional um pouco degradada. O desvio está devidamente sinalizado e subindo a artéria por onde somos encaminhados temos passagem obrigatória pela igreja de San Francisco.

“En el lugar del convento franciscano (1377), se construyó esta iglesia a mediados del s. XVIII, diseñada probablemente por ingenieros militares. Las autoridades de Marina impidieron añadirle torres que estorbasen la visibilidad de un observatorio astronómico que no llegó a construirse. En el interior destaca el retablo de José Ferreiro, el más importante escultor del neoclasicismo gallego, y la talla de santa Bárbara (s. XVIII), protectora contra las tempestades y patrona de los artilleros.”

fonte  |  http://www.galiciaenteira.com

18155817_10210824786568589_2353540594781947198_o

Prosseguimos viagem em passo ligeiro seguindo a direcção da Rua Real, daí sempre em linha reta com passagem pela praça de Amboage, onde crianças davam um colorido auditivo à mesma e onde as flores e a igreja de Nossa Senhora das Dores compunham o cenário.

18192982_10210824803929023_4685131067322804674_o

Avistado o Ayuntamiento de Ferrol é hora de mudar de direção. O atual palácio municipal foi inaugurado em 14 de setembro de 1953.

Descendo a rua temos passagem por um jardim, aqui é necessário alguma atenção pois rápido perdemos o contacto com as marcações.

Assim que cruzarem o jardim, por entre o túnel de árvores, sigam pela direita. Atravessando a estrada, inicia-se uma ligeira subida, daqui, seguimos sempre neste lado da via, ora pelo passeio, ora no calçadão mais adiante.

18121635_10210824785168554_8406214029272232117_o18192309_10210824787448611_2907043799612905209_o

Passagem pelo quartel da infantaria naval. De seguida entramos num calçadão largo, uma pista partilhada por peões e ciclistas que nos conduz ao longo da margem da Ria de Ferrol até bem perto da ponte que cruza a ria.

Para os que pretenderem, podem seguir pela ponte até Fene, ali há albergue de peregrinos e retiram à etapa 13 km. No nosso caso, preferimos seguir aquele que terá sido o percurso original.

18192727_10210824792968749_4161761463275967591_o18156333_10210824785248556_5706522976511468643_o

Abandonada a marginal seguimos junto a uma via com algum tráfego, embora com bons passeios a atenção deve ir redobrada até porque o caminho obriga ao atravessamento da via para seguir através de um viaduto que nos irá conduzir até à zona industrial de Gándara.

18209102_10210824790408685_3478623473424737229_o18193456_10210824802248981_6513564769785546226_o

Em virtude deste troço do percurso se encontrar  em obras somos encaminhados para um novo percurso bastante aprazível, um jardim que divide a zona industrial da Enseada de Gándara. 

Daqui é possível ver a ponte em toda a sua extensão e do outro lado Fene e os seus estaleiros. Aqui foi onde apareceu o nosso maior inimigo nesta etapa, o vento, que se foi intensificando à medida que a jornada se aproximava do final!!!

18193303_10210824784088527_5752192872060372895_o18121696_10210824797808870_166965291558907211_o

Terminada esta parte do percurso chegamos a uma rotunda, aqui atenção, seguimos à esquerda no sentido ascendente e logo no entroncamento à direita sobre um pequeno viaduto, logo de seguida iniciamos uma pequena descida que nos irá conduzir por um caminho paralelo à linha férrea. Adiante cruzamos a mesma por uma passagem inferior e logo iniciamos uma subida ligeira.

18192711_10210824798848896_6673725362667676653_o18122008_10210824806209080_9060558392327581483_o

Depois de termos passado por um viaduto e um pequeno pinhal cruzamos uma zona habitacional sem qualquer ponto de paragem (café / bar) isso só iremos encontrar em Xubia, um pouco mais adiante. 

18156412_10210824794488787_5827219290500177934_o

Terminada a zona habitacional uma pequena descida leva-nos até Mosteiro de San Martiño de Xuvia.

“El monasterio de San Martín de Jubia (en gallego, San Martiño de Xuvia) fue un cenobio cisterciense en el municipio español de Narón, (provincia de La Coruña). Los restos del monasterio, la iglesia parroquial y el edificio anexo de la casa rectoral, fueron declarados en 1972 Bien de Interés Cultural con la categoría de monumento histórico-artístico.

Se trata de un edificio románico con añadidos del barroco gallego del XVIII. Una pequeña visita a la iglesia y dependencias monásticas puede mostrarnos una serie de datos alusivos al desarrollo constructivo continuo de este monasterio.”

fonte  |  wikipédia

18156200_10210824785728568_1476885625390833969_o

A partir daqui começamos a ver umas segundas marcações com um peixe vermelho, trata-se de um itinerário que partilha parte do Caminho Inglês e a quem interessar conduz até ao santuário de San Andres de Teixido. Reza a lenda que quem em vivo não for, irá depois de morto!!!

Adiante passamos por uma zona não muito agradável, percurso em terra batida ladeado de mato e eucaliptos que nos irá levar até próximo da auto-estrada, a qual, iremos cruzar por uma passagem pedonal.

De seguida iniciamos uma descida por uma zona rural até à Ria de Ferrol.

18216650_10210824791648716_6167844109551861395_o18192992_10210824794208780_6159234015621614831_o

Aqui já o sol se estava a pôr no horizonte não restava muito tempo para que a janela de luz se fechasse, mas o encanto das cores e do cenário detiveram-nos alguns minutos. O vento, cada vez mais forte e frio, precipitou o regresso ao caminho… daqui em diante com vento de frente em rajada continua a progressão foi feita com bastante custo!

18209123_10210824791608715_5295314758052080321_o

Bordeando a ria prosseguimos pelo passeio da Riveira. Adiante encontramos o jardim e na margem oposta do rio Grande del Xubia o albergue de peregrinos de Neda.

Eram 9.30h estavamos cansados pela luta contra o vento e com fome… entramos no albergue e não havia alberguista para nos receber! Já havia ido, uma vez que, o albergue estava completo.

Havia lido que existiam hotéis na proximidades e foi esse o caminho que tomamos, com frio, com fome, aportamos no primeiro que apareceu… e correu bem. Hotel Kensington. (ver albergues do caminho inglês aqui)

18238766_10210824787168604_4417764638481343436_o18156359_10210824787928623_4943754738417331862_o

Estes primeiros 16 km, dos 31, não apresentam qualquer dificuldades e ao caminhar este dia por um percurso que só é interessante no seu início e fim, ganhamos tempo para saborear a beleza da “segunda parte” desta etapa. (que contarei noutra publicação). Começar logo o caminho foi uma boa aposta.

Em nota de rodapé um alerta para a falta de bares e cafés ao longo destes primeiros quilômetros… importante abastecer em Ferrol, depois só existem bares próximo do caminho ao quilometro 6.5, na passagem pelo Polo Industrial, ou então, na entrada de Xubia, já no final desta metade da etapa.

O caminho segue dentro de momentos…

 

Anúncios

6 thoughts on “Caminho Inglês – Ferrol / Neda – 16Km

  1. Obrigado. Irei publicar o relato das etapas com algumas fotos espero que continue a seguir esta aventura. Curiosamente, foi o seu 1º video, na altura o único que conhecia, que me levou a optar por fazer este caminho e não outro que tinha em mente!!! Agora que vi o 2º video, quero dar-lhe os parabéns… ambos excelentes e retratam na perfeição o que o caminho inglês tem de melhor.

  2. Bom dia Alan, continue seguindo esta “aventura”, haverão cenários ainda mais fascinantes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s