Percurso Viver o Douro

Fizemos um intervalo nas férias das caminhadas para descobrir o Percurso Viver o Douro. Um percurso linear de 10.7 Km, com um grau de dificuldade fácil, que se inicia na Praia do Choupal, em Pedorido – Castelo de Paiva e nos leva até Santa Maria de Sardoura, no mesmo concelho, percorrendo a margem do rio Douro.
Decidimos fazer apenas uma parte do percurso, entre a Praia do Choupal até aos Cais de Midões e regresso, numa extensão total de 15,5 km (ida e volta) deixando o restante percurso para outra ocasião – track do percurso aqui.

Iniciamos o percurso junto à Ponte Centenária de Pedorido – construída em 1893 sobre o rio Arda, foi mandada erguer pela Empresa Industrial Portuguesa para servir de passagem às locomotivas que circulavam na linha mineira de caminho-de-ferro do Couto Mineiro do Pejão.
Seguimos em direção ao Parque e Praia Fluvial do Choupal, um bom local para no final fazer um piquenique ou refrescarem-se nas águas do Douro.

Adiante, antes do início do passadiço, existe um aviso que alerta para o facto de apenas uma parte do trajeto estar disponível à circulação (!), no entanto, todo o percurso está sinalizado!!! Este alerta de segurança talvez se deva ao facto de apenas parte do passadiço estar construído e no restante trilho existirem alguns deslizamentos de terra que estreitam o já estreito caminho tornando-o, nesses pontos, um pouco perigoso.

Com cautela prosseguimos pelo passadiço que se estende pela margem do rio, uma autentica passadeira que permite contemplar a beleza do Douro e da Serra da Boneca na margem oposta.

Terminado o passadiço o caminho segue por uma zona de terra batida onde, por vezes, as herbáceas “apertam” formando um canal estreito. O percurso levou-nos até a um bonito miradouro em forma de barco. Após este ponto e até ao hotel tivemos de ter mais atenção ao caminho, uma vez que, é neste tramo que as condições do caminho pioram.

Abandonamos por momentos o caminho para ver e conhecer a envolvente do bonito e bem localizado Douro41 Hotel & Spa.

Depois do hotel há que vencer a única subida digna desse nome. Embora não muito longa é bastante acentuada, o calor que se fazia sentir ainda mais atrasava as pernas, foi com alegria que ao atingir o topo nos precipitamos colina abaixo. Esta parte do percurso, ida e volta, foi a que mais gostei…

… desde logo porque a paisagem se abre mais para o lado do rio, depois porque a vegetação é mais diversificada não havendo tantos eucaliptos…

Com um miradouro destes a paragem é obrigatória, não só para a foto, mas sobretudo para apreciar a beleza e a paz que envolve este local.

Prosseguimos caminho. Adiante o traçado permite fazer um desvio para visitar a aldeia de Gondarém, onde se destacam as casas construídas em xisto.

Transposta a aldeia decidimos continuar adiante e não retomar à rota que vínhamos seguindo. Afinal o regresso desde o cais de Midões teria que ser feito por esse mesmo caminho, assim, prosseguimos por estrada até junto da Capela de Santo Ildefonso e daí, igualmente por estrada, descemos até ao cais de Midões.

Já no cais aproveitamos as cadeiras de uma esplanada para descansar um pouco, foi pena o café estar fechado, pois o calor estava mesmo a pedir uma cervejinha fresquinha para acompanhar a bucha que levávamos na mochila. Não houve cerveja mas apareceu o padeiro… os doces já haviam “voado” restavam uns lanches mistos. E assim foi o repasto regado com água del cano!

Iniciamos o regresso.

Depois de atingida, novamente, a bifurcação que nos levou à aldeia, o percurso repete-se. Nem por isso se torna desinteressante, há sempre algo que não demos atenção ou passou despercebido, a perspetiva da paisagem também se altera… é preciso manter o foco na rota para que o “barco” não encalhe.

Depois de algumas horas a “comer pó” chegamos novamente a piso fofo…

Deslizamos pelo corredor de madeira protegidos do sol pela sombra que a vegetação propiciava. As “férias” das caminhadas a sério e o calor que se fazia sentir trouxerem um cansaço que já não me lembrava de sentir!!! Embora a forma esteja em baixa, o caminho foi um sucesso e uma alegria para a mente… o desempenho foi tão bom que tivemos direito a uma taça D` Ouro quando chegamos à esplanada do Parque do Choupal!

A história desta aventura está contada, agora é vosso vez de ir viver… o Douro.
Boas Caminhadas.

2 opiniões sobre “Percurso Viver o Douro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s