O Primeiro Dia

Poesia à Segunda

A principio é simples, anda-se sozinho
Passa-se nas ruas bem devagarinho
Está-se bem no silêncio e no borborinho
Bebe-se as certezas num copo de vinho
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
Dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
Diz-se do passado, que está moribundo
Bebe-se o alento num copo sem fundo
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E é então que amigos nos oferecem leito
Entra-se cansado e sai-se refeito
Luta-se por tudo o que se leva a peito
Bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
Olha-se para dentro e já pouco sobeja
Pede-se o descanso, por curto que seja
Apagam-se dúvidas num mar de cerveja
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Enfim duma escolha faz-se um desafio
Enfrenta-se a vida de fio a pavio
Navega-se sem mar, sem vela ou navio
Bebe-se a coragem até dum copo vazio
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E entretanto o tempo fez cinza da brasa
E outra maré cheia virá da maré vaza
Nasce um novo dia e no braço outra asa
Brinda-se aos amores com o vinho da casa
E vem-nos à memória uma frase batida
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.

Sérgio Godinho

“Três ciclistas feridos em acidente com carro em Guimarães”

Informativo

Infelizmente a sexta começa com más notícias… 

Quando vamos ao volante é nisto que devemos pensar quando estamos na presença de peões, motociclistas e ciclistas… “Quanto a danos materiais, o automóvel teve alguns arranhões mas duas bicicletas ficaram partidas ao meio.”  

Nunca esquecer que o dano provocado num ser humano, por vezes, não tem a capacidade de reparação que a chapa do veículo que se conduz tem. O respeito na via deve ser mútuo e a partilha da mesma deve ser consciente e responsável.

ng8680134

foto  |  Delfim Machado / jn

“Três ciclistas de uma equipa de Famalicão ficaram feridos na sequência de um acidente que tiveram com um automóvel, ao início da noite desta quinta-feira, em Guimarães.

O acidente deu-se na Estrada Nacional 310, no cruzamento entre a Rua de São João Baptista e a Rua 10 de junho da freguesia de Sande Vila Nova. Os ciclistas, de 16, 17 e 18 anos, iam em direção a Caldas das Taipas quando o automóvel, proveniente da Rua 10 de junho, atravessou a frente do carro na faixa de rodagem onde seguiam. Isto aconteceu num cruzamento onde a prioridade era dos velocípedes pois o carro tinha sinal de paragem obrigatória.

Três dos cinco elementos da equipa não tiveram tempo de travar e esbarraram-se contra o automóvel, tendo sido projetados cerca de três metros. “Em princípio, a culpa é do condutor do carro que se atravessou demais no cruzamento”, disse Silvestre Cardoso, testemunha.

Os Bombeiros Voluntários das Taipas foram alertados às 20.55 horas, e mobilizaram três ambulâncias viaturas com seis elementos que prestaram os primeiros socorros às vítimas. Depois de socorridos no local, os ciclistas foram transportados pelos bombeiros para o Hospital de Guimarães, com ferimentos considerados ligeiros.

O condutor e ocupantes do automóvel permaneceram no local até à chegada da GNR das Taipas, que tomou conta da ocorrência.

Quanto a danos materiais, o automóvel teve alguns arranhões mas duas bicicletas ficaram partidas ao meio. Os ciclistas pertenciam a uma equipa da Associação de Ciclismo de Pousada de Saramagos, na freguesia homónima em Vila Nova de Famalicão.”

fonte  |  jornal de notícias

Red Bull Trans-Siberian Extreme

É o qu`eu digo...

Inicia hoje e prolonga-se até ao dia 10 de agosto a  Red Bull Trans-Siberian Extreme, talvez, a mais dura prova de bicicletas do mundo.

O percurso de mais de 9000 quilómetros, sim, isso mesmo, 9 mil, liga a cidade de Moscovo à longínqua Vladivostok,  seguindo próximo da mítica linha férrea que liga a Russia europeia com a parte oriental do país, o Transiberiano.

marcelo-florentino

Foto  |  Denis Klero / Red Bull Content Pool

Esta é já a terceira edição da prova que se divide em 14 duríssimas e imprevisíveis etapas, algumas delas, com distancias na casa dos 1000 quilómetros. Para termos de comparação, dizer que as grandes provas mundiais por etapas, como a Volta à França e a Volta à Itália, percorrem distâncias nunca superiores a 3500 km, no mesmo percurso de tempo, 3 semanas.

trans-siberian-extreme-1

Foto  |  Denis Klero / Red Bull Content Pool

Na edição anterior nenhum atleta conseguiu concluir a prova e na edição de 2015 apenas dois o fizeram na variante individual.

Para melhor compreensão da dureza da prova, física e mental, partilho o vídeo da edição passada… 

Uma sugestão: Não tentem fazer isto em casa!

“Novas bicicletas vão absorver poluição e purificar o ar da China”

Informativo

2442-8555-image-696x480

“O rápido processo de industrialização das últimas décadas fez da China um dos países com as maiores concentrações de poluição nas grandes cidades, o que levou o governo chinês a fazer grandes investimentos na área das energias com fontes renováveis e na rede de transportes públicos. Mas o público também pode contribuir, voltando a fazer algo tradicional, com um toque futurista.

Antes do aumento desmesurado de carros na rede urbana, a China era conhecida como “o país das bicicletas”. A ideia é que a população volte a usar bicicletas, mas agora equipadas com tecnologia que vão permitir a estes veículos limpar o ar à volta do seu utilizador, acabando com a poluição numa localização pequena. Agora, imagine milhões de pessoas a fazer o mesmo com uma bicicleta, e uma grande área pode ser limpa.

A tecnologia foi desenvolvida pelo holandês Daan Rossegaarde, também oriundo de um “país das bicicletas”. A estrutura da bicicleta seria equipada com filtros que, tal como a sua já existente Smog Free Tower, iria limpar o ar à medida que se desloca. Ao mesmo tempo, os utilizadores podem fazer as suas viagens dentro da cidade sem criarem poluição adicional e sem consumirem recursos energéticos.”

fonte  |  www.motor24.pt